domingo, setembro 26, 2021
Início Porto Velho Pacientes ficam até 5 dias sem alimentação na UPA da zona sul

Pacientes ficam até 5 dias sem alimentação na UPA da zona sul

Em relatório apresentado pelo departamento de Fiscalização do Conselho Regional de Medicina do Estado de Rondônia (Cremero) apontou diversas irregularidades na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da zona Sul, em Porto Velho, que colocam vidas em risco. As inspeções foram realizadas no local no último dia 11 deste mês de março.

A fiscalização constatou que, diante das demandas nessa pandemia, a unidade se transformou em Unidade de Terapia Intensiva, devendo estar enquadrada nas recomendações feitas em nota técnica da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) (NOTA TÉCNICA GVIMS/GGTES/ANVISA Nº 04/2020). “Não há respeito da distância entre leitos de 2 metros, nem mesmo a presença de um fisioterapeuta para cada 10 leitos nos turnos matutino, vespertino e noturno. Existe assistência nutricional e terapia nutricional, porém nenhum desses profissionais fazem parte do corpo de saúde da unidade”, relatou o médico fiscalizador Lucas Levi Sobral.

A gravidade da assistência nutricional fica explícita diante da falta de terapia nutricional, que deixa os pacientes por até cinco dias sem alimentação, fazendo com que esta responsabilidade passe a ser dos familiares que entram na unidade, com circulação livre à beira do leito. “Tal atitude expõe os servidores, pacientes e os familiares do próprio paciente a um fluxo indeterminado de entrada e saída dos leitos a qualquer hora do dia”, disse o médico.

Ainda foram registrados que a unidade não apresenta o número adequado de médicos para o atendimento de urgência/emergência, tampouco para assistência a pacientes Covid-19 com quadro moderado a grave. “Segundo a escala médica, fornecida pela Unidade, há em média, três médicos para cada jornada de trabalho, em regime de plantão. Porém, realizam atendimento a 40 pacientes por turno, havendo sua lotação máxima com o mesmo número de 40 pacientes, em total desacordo conforme a Resolução n° 2153/2016 do Conselho Federal de Medicina (CFM)”, destacou Lucas Levi.

O relatório do Cremero foi encaminhado ao Ministério Público do Estado de Rondônia (MP-RO) e à Secretaria Municipal de Saúde de Porto Velho (SEMUSA). O Município de Porto Velho deve responder pelas irregularidades.

Situação das UPAs em Porto Velho

A capital tem três UPAs: a da Zona Sul, Zona Leste e a Jaci. Elas prestam atendimento para pacientes que apresentam sintomas do coronavírus além das demais doenças ou acidentes. Dessas, a UPA Sul é a unidade de referência no atendimento de casos moderados a graves da Covid-19, atendendo somente pacientes com sintomas da doença.

O município diz que disponibilizou outras unidades para dar suporte à UPA Sul, com leitos de retaguarda na UPA Leste, Policlínica Ana Adelaide e José Adelino, por exemplo.

 

leia mais:

http://www.cremero.org.br/cremero.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=21934:2021-03-19-13-26-01&catid=3

A gestão ineficiente de Hildon Chaves é a única culpada pelas mortes por COVID Porto Velho

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -

Most Popular

Recent Comments